Alegria profética e comunidade – Vida eterna: Jesus e Reino dos céus ” Teologia e pastoral – Exortação ,[At.13,48]

“Sob o olhar de Nossa Senhora na providência da graça em Jesus, [Lc 2, 46-50]”

Em exegese bíblica do Cristianismo, na história A.c e D.c. e fundamentos com os princípios de Jesus Cristo – Filho de Deus. As profecias divinas, N.S. e a escatologia, em presença profética da escolhida Maria e o Pai adotivo José, da genealogia e árvore familiar de Davi. Maria, seria dentre as mulheres, cuja revelação de anúncio receberia do anjo guardador de sua vida, e a mesma prometida desde criança e preparada como toda mulher, caminhada para o casamento, em matrimônio com o também acolhido por Deus. Ambos divinamente, receberam em ser espiral aos dons e virtudes em carisma, para receber e preparar Jesus “ Messias” para missão ser missão.
Para nós Cristãos católicos e leigos(as), preparasse e sermos dotados de capacidades para amar e servir Jesus, num Projeto – plano de Salvação vida eterna. Uma certeza que a consciência de exortantes pouco lembrança e trabalho nosso ser enquanto pecadores, por herança intrinsecas de fragilidades humanas: Inclinações; Seduções e tentações para não sermos amor e serviço na caridade de Imagem e semelhantes em Deus. Fomos selados pelo Espírito Santo para a vida da graça e não de controvérsias, ou seja o contrário de vida plena. Na fé, testemunho Contemporâneo presente de que Jesus Cristo ressuscitado- Senhor é, [“ Eu sou”]
O sim esposal de Maria: “ Faça assim a tua vontade,[Lc 1, 56].” Bem como José encontrou o dom revelado para discernimento, e confirmou se as profecias do mistérios : Gloriosos; dolorosos ; Luminosos. escolhida, pais do Salvador, Deus conosco.
As instâncias de preparação do Senhor- José e Maria, seguiram e foram exatamente- O estado de vida comum. Abriram se em obediência a ser vontade de si e no Senhor. Essa porta já por pertença no servir em caridade plano amor. Não foi por acaso, foram formados e preparados em Deus. Consagrados e em prontidão de mmatrimônio em diante enquantos casal[ E a mulher deixara sua familia e serão uma só carne, [Gn, Criação 1 ], para casamento: Unir e vidas para Aliança sagrada por ritos de consciência na espiritualidade divina no Espírito da verdade, ritos e testemunhos de um para outro. “O casal” é rito divino individual e casal perante Deus, participam Famílias e outros para confirmarem apadrinhando e acolhendo ao estado de vida de ambos espiral casto.
O caminho profetizado, e anunciado por: Isaías ; Jeremias; e outros, [EE, pf 135], o Evangelho e liturgia, Jesus entre os doutores( Lc.2, 41), nos modela as meditações e contemplações: Preâmbulos para consideramos estados, que seriam esses minuciosos passos de comunidade, aos Cristãos (as). Para considerar a entrar no plano salvifico profético de Reino de Deus – Vida eterna:
• Amar é servir no livre arbítrio espontaneidade da gratuidade do amor[ Abertura dos mandamentos Jesus], ao obedecer aos pais depois na dedicação sagrada de consagrados, (Presente no templo). Jesus, dizia, e sabia qual na abertura de coragem esposal de preparados confirmavam predispodicao inclinados para: a felicidade de dialogar; convenrsar; ouvir pessoas consagradas, e oyvir, perguntar intimamente, estava por estima intima de Deus. Que esquecer todos e caminho – Definida vocação sacerdotal de Jesus.) “ Não porque devo estar na casa de meu Pai”;
• Perfeição evangélica ( Jesus no templo permaneceu, deixando seus pais naturalmente, para dedicar se ao puro serviço ao Pai eterno – Vida e eternidade( Mortificação de si, e nascer em Deus). A noção ao tempo à temporal, predisposição de país em perceber 03 dias, a depois a ausência de Jesus. Sentido toda de vocação livre agraciado, aberto;
• Olhar de Jesus e em conservar se em que vida” Estado, em vida divinal da majestade do estado ( respostas) ao servir, em si( sob pessoal);
• A intensão de Cristo Senhor e as contradições humanas;
• Como dispor- nos e o aprontar- se (Prontidão do ser), para a chegar se a perfeição em qualquer estado ou vida que Deus, nosso Senhor apresente – nos : Moções; motivações; e espaços de discernimentos espirituais), visível por definição EE.
Para vivenciar práticas e espiritualidade EE, os rafos- Estados
1. Vida comum( Obediência de si aos pais);
2. Vida sagrada com comunidade: Deus, irmãos e missão apostolado ( Os”templos “ e sentidos implícitos de cada um, permanecer no sim).
Aos filhos (as) sois criaturas do Senhor!
1. Descobrir a vontade particular intimista de Deus a “nosso” respeito em: a) Revelações nas aberturas ( Oração; meditações; moções, e etc. De como podemos e a Ele nos estilo de vida, que nos quer em serviço, mediante a vocação (Dons, carismas, e virtudes que assim fomos dotados pessoal e divinamente, e também aperfeiçoados); b)Os meios a serem amados – abraçados para servir( Amar e servir); c) A continua vida de diálogo e partilha em intimidade com o Senhor – A oração pessoal. Direção, conhecer e no interior do senhorio, e de si( Autoconhecimento), o abraço proposto no livre arbítrio (Nós), eternizar em Deus; d) A consciência de vida verdadeira, entrada e caminho na vida eterna, segundo Evangelho em Jesus; e) Como essas direções espirituais cotidianas, dispomos- Nos, e evidência- se:

• Exames – estudos em Jesus, senhorioem contornos de conversão (Mudanças e transformações de irmãos (as), nas motivações e sentidos;
• Como sustento, contrição e avanços no conhecimento de Deus( Íntimo habitar de Jesus em nós) buscar e os apelos do Ser – Autoconhecimento do Eu), pessoal enquanto Imagem e semelhança – Vocacional e estado de vida, com anelos discernimentos e ângulos divinos;
• Amar é servir – Segundo ao estado vocacional espontâneo livre e alerta as benção multiplicantes na luz em Deus e graças, e irmandade comunitária, que se faz fraterna.
A mulher, na sua vocação e com feminino e especial, que não podemos negar, no Plano e projeto divino de Salvação, sempre presente, nossa Senhora Maria, espelho refletor em Jesus na formação de mãe, enquanto homem e divino no Pai, sempre olha a sensibilidade atenta ao entorno do Senhor, no sentido providente e intercessor, sempre a frente. O olhar materno peculiar, encontra-se no Evangelho e profecias, em seus sentidos diretivos divinos aos pivô afastados da plenitude e vida de eternidade no Amor. Neste N.S. Maria, sentido materno e vínculo divino humano, de criatura no criador, possibilitou que: O anúncio do Salvador profético pelo sim; A preparação e visita a Santa Izabel e prima mais idosa, em vinda de João Batista, evidência- se sua vinda antecedendo seus passos públicos; Servir em cuidados e zelo a prima e mulher, por missão especial como também gestacional; A intimidade entre ambas com sinalando Deus e colocando sentido natural, a vida de seus filhos no ventre, com o milagre da presença de vida, no sobressalto do ventre, a missão de mulheres e os estados da vida na genealogia profética de família de Davi( João Batista e Jesus – O messias).Um prepara o caminho, e o outro, é o caminho, a verdade é vida.
De fato, que em Jesus, Maria nossa senhora, é um divisor comum no princípios do Cristianismo e Igreja apostólica católica romana, nos vínculos proféticos entornos da maternidade e feminina – Mulher e no Evangelho em Jesus no Pai. A igreja ressurreição e Cristo vivo, a mãe estava aos olhos do Senhor, que dignifica o Filhos cada vocação e discernimento de discípulos(as) e apóstolos e apostolados religiosa e leiga de mulher em missao sendo missão. Na vida. A mãe, e o filho: Aprende – se desde ventre, tudo que de saída, é e será na vida com Deus. Recebe livremente tudo- Alimenta- se cotidianamente, nesse crescimento para vida pública, na fé.
Atentos conscientes, que sentidos proféticos evangélico em controvérsias por:
• Insegurança em conversão – Estados indefinidos;
• Estados em sentidos do que o mundo, as pessoas querem e define se para nós, e querem que façamos, e não orientações por direções;
• Discernimentos obscuros;
• Prontidão ao providenciamos na ajuda aos irmãos ( as) e famílias, e entes;
• O despreparo leigo( a) apostólica profissional na formação, espuritualudade; descapacitado para decisões e discernimentos;
• O medo, a tristeza e íntima cotidiana no caminho, e fugas, e etc.
Descaracteriza se direções e discernimentos por pontos, nestas considerações no plano de vida eterna – Amar é servir, a caminho e entrada no plano divino da eternidade, no exercício do amor, direções EE sagrada, em Jesus e corpo místico, na Boa Nova e aliança profetizada.Os frutos do Espírito Santo – Vida eterna e: a) Conversão de nossas imperfeições, para a alegria do Evangelho; b) Não acomoda – se diante de evidências ante as contradições sócio – político e econômico da sociedade; c) E etc.
“ Há diversos dons, mas o Espírito Santo, é o mesmo”
Teologia e pastoral – Vida eterna
A alegria de comunidade, nós cristãos católicos não meditarmos, contemplamos nem estudamos, e partilhamos a temática: Reino e vida eterna. De forma prática nesse EE cotidiano que somos enquanto leigos(as), e ou consagrados , diante principalmente de pastorais no sentido – Teológico e pastoral.
Sentido intelectual civil
Planos acadêmicos civis, as obras intelectuais de um autor(a), ao longo da vida mística do desenvolvimento do conhecimento a serviço da comunidade, representam o conjunto das mesmas, são princípios fundamentos da memória em vida – “ Prolongo de vida eterna”, na vocação intelectual produzida – Imortais.
O corpo mistico – Igreja
Alegrai vos sempre, no Senhor. A semente do evangelho, Jesus feito homem no plano divino de Salomão – Retorno ao caminho, perfeito de amor. Buscando ênfases em direções apostólica e orientações doytrinais( Papa Francisco, 2017), entornos nós PF cristãos, e em anelos: Fé e razão. Sem juntos, e numa separadas e individuais. Principais frente aos apelos , da sociedade e indivíduos; principalmente paixões de dúvidas,interjeições alertas, e sem respostas. Os documentos apostólicos e claros sempre presente.
O caminho, verdade e vida, no corpo místico hoje, precisamos EE vivenciar comunidade neste mistério- Dar a vida, sendo vida:
• Comunhão ( Fidelidade trinitaria e comunitária no Senhor) ;
• Orante, partilhada, vida comunitária pessoal, e etc)
Batizados – Transmitir ao povo o conhecimento da Salvação – Pastoral
Dar testemunho do Senhor, frente as indiferença de crenças, credos e fé. Neste estado acolhido, seguir modelo e ambiente na evangelização- Vida eterna.
O percurso perspectivo, encontramos às pastorais. O que é pastoral? É uma ação da Igreja no mundo ou o conjunto de atividades(Espiritualidades, sacramentos, e obras de misericórdias, e etc.), pela quais, o corpo e mistério de Cristo – Igreja realiza, é e será uma missão em missão, por:
• Contínua ação de ² PF- Jesus cristo;
• Pastoreio e ovelhas – paróquias e apostólicos diocesanos.
Fundamentos pastorais
a) Transmitir estudos; promoções da vida na agregação de fiéis e carismas em dons; Partilhas e comunidade;
b) Acender acentuando e dando tônica- Valores cristãos católicos;
c) Sinalizando os PF do Cristianismo e Evangelhos;
d) Serviço a comunidade;
e) Disseminar a teologia do Cristianismo em : Cursos regulares; cursos e escolas; ciência, razão e fé ( Científica civil) experiências práticas sob cunho ético moral perante PFC e Igreja instituída e missão, em exercícios teologias e pastorais.
Os discernimentos e eixos TP – Cristianismo
1. Objetiva – Evangelizar sempre e difundir no anúncio, em todos meios, e povos, línguas das nações;
2. Funções – Profética , litúrgica e real. Na condução de Paz a promotora e bússola apostólica de caminhos das comunidades – Vida e amor por amor em Jesus, e prática EE do Cristianianismo( Ser) . Nestes preâmbulos, todos: Apelos da sociedade; Juventude; Saude médicas públicas; Solidárias sociais; Ensino educacional e sentidos sustentáveis e anelos a vida , e meios ambiente.
Público distintos comunitarios
a) Setores em comissões ( Grupos), exemplos à nível de entornos particulares, e discernimentos Diocesanos, paroquianos, e etc;
b) Pastorais Afro – Brasileira e sociais, carcerária, de rua; migrantes; Nômades; pescadores operária, Indigenista; terra; batismo; comunicação; DST/ AIDS; catequese; cultura; Dízimo; Educação; Juventude; mobilidade humana; sobriedade; Idosa; turismo; dos brasileiros no exterior; familiar; litúrgica; universitária; vocacional e outros como” sexualidade” e casais de 2ª União. ( Wik.pc, 2018).
Imagem e contemplação de Reino eterno íntimos perfaz testemunho: Que imagem e contemplação de Reino que faço e formação? Oração; meditação; contemplação do Evangelho e reflexão com estudos aprofundamentos com conhecimento da palavra, comunitário fraterno. E caminho formativo na condução de reino dos céus e diante de: Morte; Purgatório e céus. “ Vigiai e orai, pois não sabeis a hora”.

Soldados no exercício de vida cristã, na fé, nossa arma de preparação e ação, se faz parte de Reino que contemplo e face a face de Cristo. É contradição do Evangelho! O povo de Deus, que acorrentados, sem discernimentos, divinos, na comunhão do insconsciente: Vícios, inclinações virtudiais e maldades; guerras espirituais e batalha de religiões; sentidos de homens e mulheres na ótica de vida, pelo vocacional, no estado e razão.
Caminhos na teologia e pastorais – Formação vida eterna.
Dioceses em seus vicariatos com paróquias em seus regionais discernitivios formativos de sacramentais, obras de misericórdias, evangelização formais e regulares de cursos doutrinais Igreja católica romana, precisam desenhar planejamento entornos de graças e bênçãos da otimização formativa na temática e vocação divina para todos os cristãos sobre vida eterna. As ovelhas de pastoreio redil, ao desconhecimento e conhecimento de Deus na palavra, nosso retorno ante Boa Nova e aliança com Jesus. Essa é direção que todos cristãos precisam conotonar conversão, não pela almas descaídas e fundo do poço de vida de pecado. Perante indignas correntes e acorrentados. Conhecimento o que vida eterna, e como podemos conhecer e entrar neste plano divino, e projeto redirecionamento ao êxodo no mundo de pecadores…A Vida plena.” O princípio era a palavra”. E Jesus, fez homem, vinda da mulher, sendo Deus. E mostrou- se Um no Pai.” Eu sou!…Eu no Pai…Eu é o Pai somos Um.
A mentalidade de vida eterna, os cristãos (as), pouco tem, e não conhece em Deus, formação e desenhos íntimos em Deus. Acredita se culturalmente erroneamente, que somente súplicas, comunhão e comunitária no corpo místico e obras de misericórdias e teologais e pastorais, iremos aguardar e morar na vida profética eterna. As contradições são presentes: Medo da hora e sobre pós- morte… A apresentação e juízo final?; o purgatório? A volta triunfante de Jesus. Vida eterna, Vitória do pecado, sobre a morte. Jesus somente voltará- Parusia…conversão de todos. Aí está o mistério…Os sinais, a palavra, entornam passagens, analogias, e parábolas pedagógicas instruídas e ensinadas pela igreja e todo apostólicos encíclica a respeito de temática em ordem que envolvem questões e problemática a cerca entre: Fé, ciência e razão. Num laço de afirmações para discernimentos apostólicos divino e corpo místico de Cristo institucional e divino tributário.
A convivência e vivência de cristãos (as), por muitos permeiam sinais alienantes, e nem convictos tais apreços e luz de conversão e testemunho vivo, mais pouco ante revelação íntima e formação – Vida eterna. O evangelho plenitude vida eterna, começa aqui, neste o Pai, e o Filho, se fez vida e amor.
Crentes e de fé viver e entronizado vida convertida em caminho, com Jesus no Pai, e providência Orante, em pé de Nossa Senhora. Que cânticos, recintos de salmos lovores, com ladainha salvifico com Maria e intercessão dos Santos, e guardiões anjos pessoais, que temos, nos ilumine neste retornos ao Projeto antigo da Criação e planos de resgate enquanto filhos(as), de Deus.
Podes reinar
Senhor, eu sei que é teu este lugar, todos querem te adorar, toma TU a direção. Sim oh vem, oh Santo Espírito os espaços preencher. Reverência à TUA voz vamos fazer.
“Podes reinar, Senhor Jesus, oh sim.Teu poder teu pivo sentirá Que bom , Senhor , saber que estas presente aqui. Reina, Senhor, neste lugar.
Visita cada irmão, oh meu Senhor, dá- lhe paz interior e razões pra te louvar. Desfaz todas tristezas, incertezas, desamor, glorifica o teu Nome, oh meu Senhor.
Neste cântico um louvor, reverencia e serserve na graça e tementes , crente pela abertura do coração a fé, no anúncio do Evangelho – Reino eterno. Triunfante voltarás pois a caminho estais. Em ceia com todos no amor, com alegria, que nos vem do Senhor.
A nossa pérola conosco, Maria, contigo, colocamos no altar do Senhor, nossa vida em oração.
[Colóquio: Alegria profética e comunidade- Vida eterna: Jesus e Reino dos céus. “ Teologia e pastoral – Exortação vida eterna, (At, 13, 48).


Jusenildes dos Santos University Européia Atlantic- Ibero. Tecnologia e ciência da informação. Docência CTGC – Teologia e política – FCP. 01.7.2019.]

Publicado por

jusenildes

Pesquisadora Ciência da Informação - TIC digital Aprendizagem e conhecimento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s