Vida cristã e comunidade – Identidade e completude: Sexualidade e amor no Santo Espírito.

“Não desperteis, não acordeis o amor até que assim, se faça, (Ct – 2,7).”    

A intrínseca Inter relação Divina e entre humanos, encontra-se centradas teologicamente com suas vidas, ligados e dados as raízes dos conhecimentos a Divisíssima Criação – Criatura homem e mulher “Cistela” unidos pelo sono em princípios e fundamentos – Homens e mulheres, não o encontro dos laços afetivos da sexualidade ser completo: Em planos do amor – Ágape, filos e Eros, segundo história da civilização Grega primórdios A.c – AT. No Espírito santo, o mistério na descoberta do amor nas três sintonias dimensionadas Divinas, faz -se, sem círculos dos egos e indivíduos, mais das graças e da relação de luz. A assim unidos na graça da graça, início do amor, no espírito. As emoções, e paixões, não são ilhadas, mais em harmonia com valores e virtudes em seus dons. O composto, dar-se pela harmonia sincronizada entre irmãos.    

A sincronia cultural e histórica

A sincronia do amor – Precisamente na dimensão da sintonia em Ágape, a cultura herdado grega, a descoberta de que Deus é identidade em Ambos. E iluminados, clareia vidas – Acendendo a luz do amor. O Senhor é a vida. Filos dimensiona, essa filiação de filhos (a) no Pai, idênticos e fraternos enquanto humanos na pureza de castos, irmanados e sem eixos de contradições, ou percepções de desconfianças, confirmações de fé comum. Afirmação com seus entes de vida e fecundos provindos de C o – criaturas pais terrenos – Pai e mãe. Essa raiz de completude filiais na divindade enquanto filhos (as). No amor ágape identidades de Deus, e filiais de filhos(a), do Pai, e nesta dimensão, no Amor fecundo, Eros e sexualidade de proximidade se funde -se no amor completude do integro dos seres de humanos, bem fecundos, que anelos em união nos eixos da sexualidade, engaços e conjunto. A fusão intrínseca da fertilidade de H – M, nas dimensões do corpo reprodutor feminino e masculino distintos, acontecem naturalmente e biologicamente a preparação do corpo, para um receber o outro(a), que se encontram férteis, e afetividade próximos,  pertença de Deus,  e anelos dos encantos e carinhos, abertos na graça e confiança de ambos, e compreensão a “completude infinita” . Um momento celebrado e Sagrado de carne da minha carne, sangue do meu sangue. Batizados na escolha e escolhido, a fecundidade preparados, para plenitude do corpo  BIO, a concepção de amor, dar – se a fecundação, ou ao poder natural Divino do corpo feminino e preparado fecundo e esperma (gerindo) ao óvulo  de expulsar aos nãos  fecundos e estão maduro; percorridos, o círculo presente preparado e capaz, para ao seio central, do corpo feminino ao  concepção princípio da vida.[Testemunho, de mulheres contrita na castidade, que conhece, seu aparelho feminino reprodutor e sua reais instancias de ovulação mensal e etapas de transformações que acontecem ao longo da vida, bem intima, sabe muito bem quando contrai se  concepção, se preparada estiver internamente e espiritualmente] e tal qual o aparelho reprodutor masculino, também conhece-se profundamente, e que ambos, no planejamento familiar esses identificadores e sinais, bem situam a projeção Divina e sexualidade de casais, que não somente carnais naturalmente, essa mutualidade, soma-se e, exauridos seus egos de indivíduos, mais de casal. Unidos na carne, para o luzir e unir em central teológica de si, num todo.

Cânticos e a sapiência em exegeses

A concepção entronizada Cristianismo – PF, o livro Sapienciais, em seus encantos de “Cânticos dos Cânticos”, enaltecem aos noivos, desde primórdios em linguagem de analogias para apresentar uma leitura aos casais: “Não vos preocupeis e nem despertais o amor, enquanto não chegueis o momento”. O fecundo, de servir e amar ao próximo, que significa, negar e abraçar as relações do amor – Ágape. Filos e Eros. Tormos – nos integrados, na condução natureza do amar. Mais distintos, as nossas de escolha e vocação e estado de vida.

Exegetas , acentuam estudos, em que, O cântico , celebram a intimidade do desejo humano, e íntimos com Deus, em conjunto, celebrados os “apelos e súplicas”, que exortam e enaltecem á mutualidade  intrínseca de completude humano, se mulher + homem, ao diferente, mistério em Deus traduzido e superados, no encontro apelo fiel segue aos ensinos e instrução ao matrimônio(A paridade de anelos enquanto natureza viva de Ser), Criaturas divinas – Escolhida e escolhido, e celebrados entre ambos – Os ritos centrados em Deus, com celebrante ao ritos Sagrados, para Consagrados e abençoados por Deus, sob benção, em testemunhos de familiares de ambos e amigos, sob a tutela de padrinhos,  sinalizando, testemunho, de acompanhar e auxiliar neste percurso de cristãos na caminhada , por exemplo.   

 Gênese e a criação – AT

Os laços legitimam a necessidade entusiastas, e valores do amor de Cristãos humanos. Adentrando refletir, que as buscam e sentidos profanos, este íntimo de anelados, não é somente ante amor divinal, uma vez que Deus – Selou abençoou, as  escolhas do par e escolhidos –  Cístelas no  encontro místico em Cristos, matrimônio enlaces, e preconcebidas aparentemente menos, como procriados do que como associação afetuosa e estável do homem e da mulher, (Gn 2,18).

JavéNatureza do homem, relação de patriarcado

Em plano adentrado delimitando existência comunitária e social, perante concepção, a exegese com fonte exortado do Javismo e sociedade da Teologia de Deus, em Jeová – Javé – Javé, na relação do humano com Deus – Na presença do homem patriarcado, íntimo relacional. O povo Judeus, Deus e natureza do homem, aos Cananeus essa cultura acentuam – se Canãa: Cidades, lugarejos, aldeias e centros, os entornos, afirmam-se a ligação que flui em ao leito do Mar Mediterrâneo que influência a relação Criador e criatura. Impulsiona comunitariamente e seus agentes sociais, e no contexto de cultura dos Cananeus – Iavé, este social comunitário  e comportamento, a vida e sexualidade, projetava  e acentuam-se em sociedade, a imagem das relações, em   divindades da fecundidade, situando uma normalidade com aptidão e com dimensão em parâmetros  de considerações com a fé, crenças e atitudes, virtudes, aos reais contextos sadio, ou seja naturais . Neste intrínseco conceito e humanidade e humanos, e contínua no processo civilizatório a temática em outros textos e documentos AT, (Gn, Davi, Liv). De Tobias em relação adiante com infinitudes na linguagem e exortantes em Cântico.

Essas intepretações, afirmadas de alguns estudos teológicos de exegese, de escritos das espécies de gênese documentais, AT, seus contextos afluem para assinalar temática: Puritanismo (Exageros ou e ignorância a pureza, e não castidade e vida indivíduo acentuados), e no sentidos com concessões em direções do erotismo ( provindos da provocação humana da relação com certa insistência de erotismo assinalada ao másculo e fêmea, nas relações de natureza e eixos de exagerados, não da descoberta do outro). Demarcam entendemos, os exagerados eróticos, que permeiam acentuantes comportamentos egoístas, preestabelecidas em cios entre animais irracionais, mais natural, que natureza enquanto humanos. Estes preâmbulos dados: Se tentados, seduzidos e miragem do corpo objetiva e das inclinações abertas, sem sintonia Divina, mais carnal.  No espírito luzeiros no amor, e não intentos de “objeto de desejo”, estes contentos e atentos sinais, da antiguidade cultural, presidem cultura da personalidade humana. Que não devemos permear acentos da preocupação. Afirma-se a natureza H e M, acendem essas exegeses críticos conceituais em que livros Sapienciais: Conhecimentos de conjunto cultural (Documentos), classificados, por delimites sapientíssimos – Sabio, sapiente, numa erudição, raros e detalhes conservador e valores virtuados, nos dons a diferença, do clássico e básico, [Dic…,port, 2019]. A cultura de cananeia, erudita e intimista nas coisas divinais, entronizados em vida. AT compõem em 08 (Oito) documentos, atenuantes em: Jó; Provérbios; Eclesiastes e sabedoria; e avanços religiosos e culturais e na espiritualidade, posteriores acrescidos, não iguais situacionais cronológicos aos tempos, mais adensados e ligantes continuam relação com a própria cultura: Salmistas; Cânticos e cânticos poéticos etc. Mais que afirmados, agregam na fé e conhecimento na humanidade e comunidades. Em tempos A.c., a leitura do comportamento antropológico AT, aos escritos Tobias e Baruc, a literatura e seus contextos literários permanecem extraídas na sabedoria. Em acima tempos, os povos Sumérios, o hábito da escrita e encontros individuais textuais de registros, com analogias, pedagogicamente nos Evangelhos anunciados ao público, em caminhos da verdade e evangelização, anúncio com raízes: Provérbios; fábulas; e poemas, situam compreensão dados as demoras e suplicantes a superação aos impedimentos e barreiras a felicidade – Harmonia do bem, distante do mal, com exortação, de      momentos difíceis  e grande desânimo  e     tristeza do homem.  A região da Mesopotâmica, adentrou a Cultura Cananeia, onde Jesus vivenciou, e fez milagres, e afirmou ser o   amor: Plano de Salvação, como ao Caminho, Verdade e vida.

Bíblia Judaica e PentateucosTorá 

Em contextos teológicos, a Bíblia Judaica, reúne em conjunto Pentateuco, é e chamado a Torá, são prescritos que regulavam agregação e união a: A vida moral, social e religioso do comportamento cultural antropológico inseridos em comunidade. Concebe-se intepretação, devida a uma relação intima com Deus, e fortemente contraditório e contradizendo essas contextualização, aos sábios , o exercício de Deus centralizado na vida dos humanos, compreensão, na claridade de fatos e acontecimentos de relações humanas e divinas com calma e paciência, o invisível ,    torna-se visível, que para outros, não acendem, devidos instâncias, em que se encontram num plano: A vida moral,  social e religioso de povos Judeus, provindos da vida Judaíca, afirmados de exegetas, em origens culturais e dos conhecimento de uma literatura Pentateucos, tornando -se legislação, sob desígnios  de Lei, que escritos de Judeus, então reguladas no completo – Um todo: Preceitos éticos e morais; Sociais no religare á Deus.

E a concepção  exegética, no exercício de investigação e estudos em PF e científicos, no olhar da fé, centrado  Deus – Teo, esses periféricos referenciais a informacionais no desenho histórico, que acenderam á sapiência da sabedoria, que demandam  escritos, e afluências de sábios que procedem as mesmas: Sacerdotes, os profetas, e estes, (as), outras faces da pirâmide e sociedades, de acessos ao conhecimento em Deus, não acendem compreensão dadas ao ser humano, em que época e conferencias, situam PF do Cristianismo católico Apostólicos Romano. 

EE, o exercício disposto e abertos a orientações e revelações intimista com Jesus, bases PF iniciais de S.to Inácio e comunidade, e seus estados de vida, a prática de escritos, uma fonte importante e essencial de formação precisa primordial – O caderninho de anotações  e seus acessórios assistentes, sem fim dados a continuidade de caminho relacional com o Senhor, sem apostos por herança cultural, com os cananeus e ensinos, que com certeza ajudam a compreensão de acentuados em Deus, e as contradições no eterno,  e não nas confusões, para invalidaz, ou  neutralizar espaços divinais.

 Vida moral, social e religioso

A inserção da M e do H, na sociedade, numa espiritualidade aos contextos centralizados em Deus, a permanência em doutrinas e ensinos,     encontra-se o Matrimônio e enlaces de amor mútuo, que abençoados , sejam abençoados, vivência a contritos em bases para Cristãos, orientados na fé e contornos sociais para prontidão acendem neste, mesmo caminho, e assim permanecer, não é afastar ou negar, as mudanças de religiões e vida familiar, é conjunto de construção em Deus. PF Cristão, construir em consagrados em Deus: Caminho que tornemos – Nos Sagrados, dedicados a Deus, no amor ofertados dia á dia, por escolha, converter sempre para manter, nesta escolha mutualmente construtores legitimamente em Deus (Ambos) e testemunhos entre si.  Em sentidos: Erguer; Edificar; Fecundar e Produzir (Mútuos), em alianças em ritos do matrimônio – Um coloca o sinal e luzeiro, ponto de única e primeira – O amor, é rito de ambos e não de sociedade, onde a mesma.

Testemunhar, orando e confirmado a bençãoA  graça do momento.

As contradições de consagrados em matrimônio, para parceiros, uniões instantâneas, certos ritos não existem, e nem apresentam ou tornam presentes, mais pontuais contratos com celebrações e cerimoniais festivas, e não consagrados, que faz parte de casal – Um e outra consagram -se a Deus, o momento inicia e vida. Achega – se em formação e conhecimento em Deus, e vida de caminhada, não é numa será em contextos apressados de calores apaixonados decisivos, enganamos, na performaces de que não podemos ficamos sozinhos ou destorcemos o sentido de despertar o amor, na caminhada de preparação de construção de vida anelada em Deus. Um espaço de 01(um) mês, uma semana, uma vez se conhecem ou estaremos ou estamos preparados. Enganamos – nos, pois o processo é construindo passo a passo, num sentido de consagrados em Deus, e no Espírito de descoberta na visibilidade afetiva da sexualidade e em Eros, no Todo – Sexualidade de si [Conjunto].

As contradições de profanos, pagãs de seleções e apressados casamentos, pautam com extremos e estatísticas de: Adultérios; Crimes com mulher e não cientes cristãos de matrimônios e apelos inconscientes de extremos inconfessos desafetos de casamentos, aparententemente e somente unitivos por bases direcionados por alternativas inseridas aos apelos de sobrevivência social e financeiras,    que convergem consonâncias sociais de pares ou as relações abertas,  ou e parceiros aparente ideologias de vida ou corrente, emergentes emoções e comportamentos aos impasses e impedimentos reais de felicidades, e posteriores enfrentamentos ante realidades e aspectos situam apresentados, totalmente personalidades despreparadas e incapazes, e aos fortes acalorados  desilusões construídas –  o desequilíbrios a força X inferiores vidas e corpos femininos para  desalentos percepções reais posteriores contínuas e contraditórias,  potenciais – explodem agressões e “Feminidios”, índices alarmantes de crimes e desamores. Entre tantos pontos de consensos á estudos em comportamentos da personalidade, investigadas e acompanhadas, em aspectos como: Uniões e casamentos; A somatização de problemas em família não conciliáveis entre ambos; Ciúmes e infidelidades; Contra – censos financeiros planejados, e não; E etc.    Para   novas relações de família em instâncias do “Heteros e Homos”, pontos  contraditórios ao Evangelho, mais compreensão dos laços humanos, que iniciam faces a laços de afetividade, e respeito: Aproximam e partilham famílias e vidas, que se contradiz com sexualidade entre homem e mulher pelo dom da vida, e fecundidade,   sentidos da união para matrimônio, e natureza de fecundos, no amor.  A união afetiva, não  condiz percorrer e realizar sonhos que se  apresentam biologicamente e “possíveis caminhos” socialmente civis de partilhas de vidas e que contém ensejos por aneladas concepções de família, devidos aos apelos da natureza   e criativa fecunda entre si, não germinada e impossíveis, e chamariz aos apelos sociais da sociedade em mudanças de desagregação de família urgentes, que mesmos a vida afetivamente unidos, o conjunto e personalidades formativas,  de “pais ou mães” emergem cuidados e vocação e nem todos(as), possuem ou  têm a contrição opção e escolhas, centrada aos incisos sinais do Livre arbítrio,    em  que Deus no Evangelho  de amor, as contradições não devem existir,  e que Jesus de testemunho vivo, capacitam – Os (as), aos  silêncios e íntimo  ao conhecimento de  Deus, e direções a construção “Reino de céus” – Plano de salvação as contrapesos mundanos, e sim divinos.  Precisamos resgatar valores e virtudes, nos “formar” em Deus espiritualmente e psicologicamente que: Sexualidade; Afetividade e Genitalismo, existem e situam em conjunto numa personalidade, e cabe-nos discernir dentro si, sua reais e profundas percepções a contentos, sem desequilíbrios e carências, pois causam muitos sofrimentos e desalentos aos comportamentos exigidos de retribuições de amor,  bem definidos em si, e a falta , ausência em comportamentos humanos, Contemporâneos   em tempos   atuais:  Em adolescentes, jovens, e caminhos maturidades prontas e humanas.

A natureza contrição matrimonial, aproxima – nos para caminhada, não é e nem será em contextos apressados de calores apaixonados e empolgantes e distorcidos no sentido do despertar do amor, mais preparação formativa espiritual e humana do Ser, para um anelo de vidas que de ambos, todos somos chamados, preparados e nem abertos  laços eternos, que assim consagrados os fazem. Os compromissos eternos, condiz com palavras de força em ritos sagrados proferidas um ao outro [“Eu… te recebo…amar e respeitar…na alegria…tristeza…até que a morte os separe eternamente…”], em celebração rituais de ambos, e celebrante consagrado para conduzir ambos, neste “- “Selo de Cristãos” – Consagrados e abençoados.  

Quando a graça do matrimônio, alimentada nos alicerces da comunhão de ambos e Jesus aos apelos e necessários em abastecer: A alma e espírito para não sobrecarregar e corpo, passos de intimidade de família e casais com Deus, uma rotina indispensável de consagrados no matrimonio e relações em discernimentos encaminhados. Sem este sustento ao alcance de vida consagrados ao Senhor dia a dia, ano…ano, …impossível crescimento espiritual de ambos em um, e a individualidade de ambos (Mulher e homem), em Deus. A cartas de desquites e divórcios representam em litígios violentos; Genocídios; Suicídios; maquiavélicos crimes bárbaros; e exauridos e alongados processos de divisão de bens e família a fios, por vezes sentenças e penais criminais traumáticas finais, o quanto nada restou de amor e fecundos proles, mesmo com, de Matrimônio e quebra de alianças.

Se Deus abençoa, não separa. “O que Deus uniu, o homem não separe…” Os filhos, sangue do meu sangue, carne de minha carne, é visível no mistério da vida de ambos. Jamais se apagam com separações e cartas condescendes, pois é sagrado, somente a morte. As regulações civis, e leis, situam pela separação pautando impedimentos de sofrimentos sequenciais sem aproximá-Los e outros ensejos aos “adultérios obscuros” e ligações civis ilegítimos sociais e relação a contentos. Mais conscientes nubles antecedentes a preparação, ritos sacramentais infalíveis – Morremos com o sinal de consagração divina, e mistério ressurreição.  

Quando se apresenta mídias de informação e comunicação, por dados estatísticos elevadas de veredas a cartas de separações, afirmações de violências domésticas de litígios amargos e sofríveis entre ambos. Questões e problematização afirmam-se Deus, em Jesus Vivo e vida de casais consagrados, desenham quadros: “Deus de discernimentos… não participou da conversa e não houve diálogos familiares e casais, muito menos intimidade divina. Se retornar as origens e avivamento profundos de formação, sem esquecer os registros primeiros – Fotos, vídeos e visita aos padrinhos”. Estes luzeiros e testemunhos vivos e filhos(as), nada significam aos calores do ódio e revoltas proferidas de agressões reinantes, o sal e temperos do amor, em meios entre tantas medidas, em uma analogia, ao tempo para matrimônio nada restou”.

O que é de Deus…, Ohomem”, não separe.

Simplesmente, quem desperta o amor, é Deus, na vida em Deus, apresentado por Jesus Salvador e dom do amor gratuito e livre, mais abertos para a graça de vidas. Fiquemos atentos que: Insinuações; tentações; e seduções, são enganos para discernimentos de caminho, verdade e vida de matrimônios consagrados. Pois estes contornos, eleva-se índices buscas a casamentos instantâneos e parceiros(a), que cessam esperas de sabedoria, e não resistíveis aos apelos aflorados e fluídos de seduções á delícias dos desconhecidos do ser integralidade de sexualidade e natureza, despertada e a pressões egoístas, de um. Apressa – se para e urgentes aos desejos, em que estamos inseridos, se não afirmados cristãos, como PF teológicos e social civil em “visão sabia” a tempos para tudo.   

O conselho eclesiástico canônico e suas regiões, concebem-se direitos e leis intrínsecas civis, aos religiosos, mediante presença de aplicação de situações de nulidades faces a questões   visíveis e invisíveis sem condescendência de futuro, e paridade de amor, para o crescimento de Cristãos casais de consagrados matrimônios realizados e reconhecimentos, mais motivados de processos nulidades – TCEC. Que Objetivos,  não pautam, se percebe anular, mais afirmar que não houve conscientes ao matrimônio e desenhos com leitura da presença em ritos conscientes e embudantes de graça de ambos, mesmos em ritos sagrados, não situados pela consagração de ambos e entre si, mais contradições a priores, a caminho, e ou pôs. Posto inexistente, para conceber “aliança com Deus”, e trocas simbólicas e ícones dela sinalizadas em objeto abençoados e trocados sinal de amor. De fronte e acessíveis considerações, testemunhos e documentos, o tribunal eclesial pôs encaminhamentos de ascendentes conselhos, postergar estudos, e carta de nulidade, cada caso, é um caso e distintos, e não iguais, embora parâmetros discernidos evidencieis, afirmem claramente citados. Posteriores reconhecimentos, ambos, podem e têm autorização, em erguer e iniciarem caminhada com matrimônio, e com formação e espiritualidade, conscientes de que matrimônio: a) Escolha “A”; b) E escolhido “O”, em caminhada e passos imprescindíveis.

A caminhada e passos de casais

Faz essenciais formação e espiritualidade face de construção de vidas e famílias, s que cientes nem todos estão preparados sem esses reais passos galgantes e paulatinos, a visão filosófica da atualidade para apenas olhar  apressado e por vezes da ignorância ao Evangelho de :  Prudência e sabedoria, a conotação e taxada verbalização de pensamento de velho “caretas”   postergada ao namoro “ficar” e permitir -se”, ), para o inicial : “Se não dê certo separa”…Mundo pagã e profano, que tudo por sequenciais desnecessários ao pensamento de falácias,   que as evidenciais afirmam anteriores contextualização e conjuntura de dados da instituição de família em matrimônios e outras situações páreas de mutualidades, consequências a fatores sociais e descontruídas se apresentam e situam problemáticas . A relativização valor á vidas, não subsidiam comportamentos posteriores morais e éticos cristãos e sociais civis   para bases formativas á existirem filhos(a), ou não. A formação direciona diferentes, pois já existem ligação como sinais de contritos encaminhados de uniões; exige-se sábios conselhos e acompanhamentos, que não possíveis aproximações de erros e afetivos de aproximação, por     cautelas, se aconselham sem relações de casal (União), mais aguardar e esperar nutrir o sacramento.

A formação e espiritualidade união

Amadurecer, conceber vocação e estado de vida existe, uma certa possível empolgação para concepção de 2ª união, em sentido de maturidade entre ambos, dados divórcios. Uma realidade comportamental e excelência improváveis, que nega -se tais quais a primeira 1ª.  A verdade de famílias existentes e presentes: Esposas dependentes financeiramente e ou pensões; Filhos(as) dependentes; Pais dependentes; Animais; Bens conciliatórios e outros entornos presentes.  Que os calores da nova paixão e apaixonados, pouco ou quase convivências aos entraves vivos humanos despreparados para tais evidências existenciais, emocionais e comportamentais. Estes consistentes aspectos desencardiam – se ao prolongo e caminhada, e mais ainda e presença de 2ª união e intrínsecos, sérios  contextos de ciúmes, invejas, apelos surpresos de imaturidades, manipulações e sujeições de desejos infindáveis correm em famílias e laços, para negar visibilidade familiares de 2ª presente, por vezes negados aos próximos, pelo desconexo formado de:  “Intrusa(o) e aproveitadora(o)”. E não percepções de esponsal contraídas e escolhas em caminhada de Cristãos batizados.  Justamente sem formação de ambos e família, que se torna fundamental e princípios necessários. Desentendimentos desenvolvem, trilham ambos, grandes embates e indesejáveis maquinações de descrédito ao amor.  É dado ao primeiro, infelizmente, que iniciam contextos que atrapalham o casal, joios se erguem -se, não desejados e queridos. Sérios problemas de totais despreparos de formação humana e espirituais. Infelizmente todos, não estão preparados para acolher “O ou A”, clareza que nem todos ou quase nenhum esteja, conceda permissão e aproximação, sem afirma-se que o respeito humano, deve-se a quaisquer ser humano e independe se. E aí, cabe realmente a vida de cristãos acender a chama do amor em família de ambos, que podem neutralizar e formar os egoísmos irmãos (as).

Jovens, estão preparados, solteiros(as) ou casais? Sem maturidades e ausências de formação na temática e realidade, com certeza, que não, a imagem, pautem, mais e vivenciem, aos sábios postulantes evidenciarem pelas trilhas em forma-se, situar formação a todos – Pastorais de casais de 2ª união presidam por planejamentos formativos primordiais. “Não desperteis …antes que o queira”. A paz, é harmonia. As contradições e mundo contemporâneo sem Deus, não é luz e sim, abertos[ Livre arbítrio ], e as contradições consequênciam  á serias inconsequências sociais, sem orientações morais éticos e Divinos que cabem, aos “sábios contemporâneos” – Aos que tem acessos a informação e desenvolvimento de estudos de questões sociais, depositadas e a serviço da sociedade e comunidade, em seus apostolados profissionais. E nós Cristãos sabemos, que se acaba quando tentamos realmente apressar, onde o Senhor o coloca o “dedo.” Faces e eixos entre casamentos e matrimônios, pela concepção de posse. Ressaltamos a exortação: “Não existe realmente posse em casais, mais aos dons formativos, paulatinos e contínuos de submissão, em sentidos amplos galgadamente, suavemente, onde nascem mutualmente passos e conversão na construção de casal paralelos …não se impõe … e ama-se na medida e sal com temperos e sabores de casais em sentidos Reino dos céus – Plano de Salvação. Maria e Jose figuram em anúncio á trinitária presente encarnação de Deus, Jesus.

Valores e virtudesTalentos e estado de vida

A cultura e família do casamento, presente contrariam ao papel da formação de família porque faz necessários para antecipar a formação da personalidade humana. Por si, e bens destes valores e virtudes entre M+H, principalmente católicos e em juventude urgem pressas de formação e espiritualidade, faces da desagregação e fragmentação de família, bases. Uma forte presença de idolatria humana, em lugar de Deus, um perigo, e dadas desilusões á pessoas, falíveis de erros. Portanto faz -se entender que os frutos do espírito fazem leitura simples com  conceitos e virtudes de dons : O amor é gratuito, é dom, não é apossado nem exigido, é consagrado, espontaneamente ao outro(a), e livre, nas bases centrais: Fé, esperança e caridade.   Em EE a instrução e ensino: “Tudo é permitido”! mas nem tudo convém “. Tudo é permitido, mas nem tudo edifica… (Co 10,23).

Neste entronizante temático, e contextos que conscientes da problemática que sobrevêm a desagregação de famílias e banalização da sexualidade mútua, e matrimônio, que apenas iniciamos abordagem, que merece mais conhecimentos para aprendizagem aos aspectos centrais, que mesmo enquanto mulher de Vida Cristã – Comunidade, e formadora. A formação a  jovens, para vocação e estado de vida no matrimônio, eclodem apelos de emergentes pedidos de Helps, para orientações, que requer mais organização a nível de Igreja  e clero planejar, e discernir vias de exortação aos sacramentos e pastorais de forma a ser força maior e motriz, pois o papa Francisco em 2018,  Sínodo das famílias – Irlanda do Norte – País de Gales, abordou questões desnorteadoras de famílias e acolheu – os casais perseverantes jovens e maduros. Uma das exortações: ‘’ Casais, cristãos, não podem depois de calores de desentendimentos, ficar sem uma aproximação de desculpas e pedidos de perdão, antes de dormir. Se assim acontecem, forte condutor futuro de separação, perdoe – se e desculpes.”      Apenas vivenciamos experiências de pessoas, e não pessoais, que acompanhamentos e aconselhamos sem experiências, assistimos famílias na polêmica de desalentos, mulheres e homens. Aqui chamamos atenção de pastorais ao sacramento de matrimônio, e casais de 2ª união, que esta questão Cristã, urge discernimentos e    planejamentos a nível:  Eclesial, clerical, Vicariatos e paróquias e suas Dioceses. Que a política em instituição de família e estudos acompanhamentos teológicos, sobretudo orações pedem licenças, principalmente Campanhas fraternas e Conselho de paz e justiça, CNBB, deem mais ênfases: a) Formação para: Noivos e matrimônio; b) Pastorais de 2ª União e famílias de ambos; c) Novas relações de famílias frente aos civis DH.  Tal qual, campanha e formações sobre o dízimo na Igreja católica, hoje realidade e sistemático marketing e comunicação, enfatizaram pastoral imprescindíveis, assim nossos apelos formais. 

“Orações e súplicas. Orai e vigiai perseverante. Ciente que a graça com Nossa Senhora, em Jesus, o amor perene, aproxima-se no senhorio de Jesus.”

 [Ensaio e colóquio: Vida Cristã e comunidade – Identidade e completude: Sexualidade e amor do Espírito Santos. Jusenildes dos Santos. University Europeia Atlantic – Ibero. Tecnologia da ciência e informação. Teologia e política – FCP. Docência    CTGC –fusca práticas, 22.07.2019.]  

Publicado por

jusenildes

Pesquisadora Ciência da Informação - TIC digital Aprendizagem e conhecimento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s