A gratuidade de amar – Semelhantes ao Pai: Assim não somos secularização e sem o Criador!

“E, por eles, a mim mesmo me santifico para que sejam santificados na verdade, [Jo, 17,19]”


A mulher, o homem não é uma criatura absoluta. Mais um ser imagem e semelhante no Divino criador, que dotou – nos de especial identidade N’ le, no Amor, e de forma especial , temos capacidade de ser pensante, criatura que divinamente criada entre outras : Dons, talentos e virtudes especiais(Cada um), que podemos lapidar, de jeito em desenvolver – Los, aperfeiçoar -Los e preciosamente aludir luzeiros no Espirito Santos inspirador, dando a nossa característica aos carismas, cada vez mais, para amar e servir ao próximo(a).


Portanto, somos capazes, sim… mais não e nunca absolutamente, aqui permanecemos numa estima de vida curta, e cada instável presença. “Somos missão, não estamos em missão, (Evg.2019)”.
Amar a Deus, aos próximos, como a si mesmos. Não exatamente aquele distante…. sim mais os que estamos bem juntinho.
Amor, por si, valorizar – se é amar se. É importante e essencial. Quando não refletimos estima de por si, portanto refletimos estima de amor por si, ao próximo não extensão semelhante outro(a). Amamos e reproduzimos, não Los particularizar, de amor aos irmãos (as). Isso “Eu” faço! este não! permito aqueles! e aí vãos as formas de retribuição de amor naturais e simples, e não gratuidade, semelhantes a Deus, [Exame especial que devemos rever em cotidiano].
Cuidados peculiares, atenção, aos cristãos(as), devem reproduzirem para si e adota – Las. Agnósticas para introjeção não Cristianismo centrando no Amor. Portanto pagã, de influência na cultura cotidiana do pensamento atual – Mentalidade, numa Aculturação aberta a nossa, e adesão para objetivos e projetos pessoais, no mundo e comportamento católico Cristão. Precisamos discernir, ao participamos de eventos e acaloráramos estimas e tomar posse, sem minuciosamente: Pesquisar, buscar estudar e aprofundar muitas temáticas em circulação da informação e comunicação. De preferência em bibliografias de pensamento Cristão Católico Apostólico Romano, mais consideráveis oficiais, a exemplos: Catecismo Igreja, Encíclicas, Direito canônico, Documentos diocesanos, e sobretudo a palavra de Deus – Bíblia Sagrada.
Esses projetos de auto – ajuda, geralmente, possuem estes determinantes e objetivos de introjeção formação cultural motivacionais, filtrar se faz urgência e rigor, aos evangelizados, mesmo não sendo praticantes, mais imbuídos da fé, num Deus Trino. Muitos cristãos(as), perdem a fé, principalmente, quando as energias dela em si mesma, esvai – se, e nascente em si, morre, ou decai -se em ausências tragadas pelos intemperes também de comportamentos e pensamentos pagã, segundo a palavra, não são os frutos do Espirito Santo, mais controvérsias a porvir a serem geradas em nossos relacionamentos de família e ambientes presentes, fiquem atentos, pois: Contendas; ciúmes, invejas, adultérios, intrigas, brigas, etc. Não condiz, inspiração divinas, mais malignas. As práticas de cultos, pertences, amuletos, orações de simpatias, e outras. Não são práticas de cristãos e batizados enquanto evangelizados de comunhão com o corpo místico de Cristo. Devemos banir, rejeitar e exterminar – Las. A oração de São Bento…” O cerco de Jerico, uma recomendação prática procedidas.”


Portanto, nossa semelhança e imagem em Deus, num gratuito auxílio no Espírito Santo, que a ressurreição nos permite no Deus vivo. Lá está nossa Páscoa [Vida nova], alimento, e fraternidade irmanando – nos todos os dias, e esperando adequando espaço primeiro – A oração pessoal e intimidade com Deus.
A volta de Jesus triunfante, será a morte de pecado galgadas de conversão – A mudança de vida em Jesus, a rotinas próprio Deus. A exaltação do Reino de Deus. E então da não morte, mais vida eterna. Isso, a profecia do Reino no amor, Jesus se fez homem, mais não sendo um de nós, mais no Pai. Mais também, a palavra A.c afirmava: “Será rejeitado, entre os seus, por causa da introjeção do pecado em nós. A fala, o ladrão bom, pergunta, ao lado de Jesus: “Lembra – te de mim, Senhor”! E outros diziam: “Não é Deus, desce – te da cruz” – O que todos não imaginavam, as evidências da falta de fé e respeito, fez traduzir a identidade profética do Salvador. Os efeitos naturais: “Os céus rasgar de cima a baixo, trovões, relâmpagos, e a Terra se abrir …” E Jesus expirou – se. “A ti Senhor entrego meu Espírito.”


A contestação e desejo: Seria o libertador político do povo? Que não aceitavam o Império romano, e Governo de César. Ao contrário, Comunidades de Jesus, nunca negava, seus Governantes; as leis; as práticas da cultura profética á Moisés; a moeda; os impostos; Jesus as observava; e respeitava muito bem. Principalmente, e inclusive mesmo perante comunidades, que tinham adotados batizados enquanto discípulos em conversão provindos de seitas (Fariseus, publicanos e outros), que Paulo, discernia em o bem/mal, vestígios de “homens e mulheres” velhos retalhos de conversão, e ainda discutia com conselhos x ou y, por serem necessários a dotação de práticas de purificação, a exemplo a circuncisão, para atos de rotinas da administração comunitárias, todos tinham responsáveis postos ativos. Que assim fossem feitas suas práticas de misericordiosas, e outras. Mesmo, quando instruídos Irmãos e discípulos não queriam seguir dados contradições do tempo social e político, e questionantes motivos inquietantes, testemunho de Jesus mantido. “Bendito seja o Senhor a cada dia. Ele cuida de nós. É nosso Deus salvador!”
Um exercício de amor, [Pf,147], Nossa Senhora conhecer – LO e em Jesus, a contemplação e meditação no amor. A calma graciosa e harmoniosa com simples ações acolhimento nos aconchega – nos em nossos louvores, súplicas e agradecimentos, completa-nos os cuidados e zelos do Cristo vivo. Nossa Senhora rogai por nós!
“Jesus vence a morte, e é glorificado com a volta ao Pai, Jo, 17,1”. [Reflexão: A Gratuidade de amar – semelhantes ao Pai: Assim não somos secularizados, sem o criador. Jusenildes dos Santos – UEA – Ibero – Teologia e Política – FCP. Docência – CGTC 01.06.2019]

Publicado por

jusenildes

Pesquisadora Ciência da Informação - TIC digital Aprendizagem e conhecimento

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s